Publicado em

O INFERNO SÃO OS OUTROS

May Parreira
Entrar no Facebook e ver pessoas, a quem quero muito bem, postarem e repostarem comentários e reportagens de sites duvidosos, por duvidarem da mídia tradicional, é triste. Em qualquer situação é triste, em quarentena compulsória é ainda mais triste.
Já escrevi sobre o mecanismo de NEGAÇÃO. Caso não se lembre, a negação refere-se aos fatos da realidade que são rejeitados e substituídos por uma fantasia ou ação.
Explico. Há muitos anos, muitos, tive uma amiga que ligou pra me dizer que sonhou com um incêndio. Ela via o fogo e ria, ria, ria. Meses depois me ligou de novo, pra perguntar se eu sabia da traição do marido. Sim, eu sabia. E disse que ela também sabia, estava evidente. E que ela mesma havia dito que gostava de ver o circo pegar fogo. Já disse, tive uma amiga.
As pessoas que sofrem de negação são muito sugestionáveis. Não confiam no que veem, porque não veem a realidade. A televisão é falsa, os jornais são falsos, e tudo gira ao redor do seu próprio umbigo. Não é possível ver as mídias de outros países, não é possível aprender com a experiência do outro. Não é possível que esteja sendo enganada(o).
Todo o mundo está errado. Todo o mundo produz notícias falsas. E, se você não está comigo, está contra mim. Guerra, ódio, irmão contra irmão. Nunca foi tão visível esse mecanismo. O inferno são os outros. Sartre não duraria um dia nas redes sociais.
Infelizmente, a realidade sempre vence. E quando ela vencer, o próximo passo no processo é culpar, o que desloca a responsabilidade para outra pessoa ou coisa.
Num momento em que estamos todos unidos contra um inimigo invisível, contra algo que pode matar muitos de nossos amigos (inclusive os que negam a crueza da realidade), é muito triste saber que pessoas, a quem queremos bem, fujam da realidade e digam que os inimigos somos nós.

@oficio_das_palavras