A Festa de Babette

R$ 0,00

“A Festa de Babette”, um dos contos mais célebres de Karen Blixen, narra a história de duas senhoras puritanas, filhas de um pastor protestante, que vivem na costa da Noruega após a morte do pai. Até que recebem a visita de Babette, uma misteriosa francesa que, fugindo de Paris, lhes pede abrigo em troca de serviços domésticos. Babette é aceita no novo lar pois traz consigo uma carta de recomendação de Papin, velho amigo das senhoras que havia sido apaixonado por uma delas no passado. Um dia, Babette tira a sorte e ganha o bilhete premiado na loteria. É a possibilidade de retribuir o bem às irmãs, e ela o faz preparando um grande jantar para a comunidade local, com os mais refinados ingredientes, em homenagem ao pai de suas anfitriãs. Grandes mudanças na vida simples do vilarejo se apresentam a partir desse jantar.

DADOS DO PRODUTO

título: A FESTA DE BABETTE
título original: Babette’s feast
isbn: 9788540502628
encadernação: Brochura
formato: 12 x 17
páginas: 64
coleção: PORTATIL – Vol. 14
ano de edição: 2012
ano copyright: 1956
edição: 1ª

Descrição

Sinópse do Filme

Em 1871, em noite de tempestade, Babette chega a um vilarejo na Dinamarca, fugindo da França durante a repressão à Comuna de Paris. Ela se emprega como faxineira e cozinheira na casa de duas solteironas, filhas de um rigoroso pastor. Ali ela vive por catorze anos, até que um dia fica sabendo que havia ganhado uma fortuna na loteria e, ao invés de voltar à França, ela pede permissão para preparar um jantar em comemoração aos centésimo aniversário do pastor. A princípio, os convidados ficam assustados, temendo ferir alguma lei divina ao aceitar um jantar francês, mas acabam comparecendo e se deliciam com a festa de Babette.

As irmãs Martine (Birgitte Federspiel) e Philippa (Bodil Kjer), idosas e pias, vivem numa pequena aldeia na remota costa oeste da Jutlândia, na Dinamarca do século XIX. O seu pai foi um pastor que fundou uma pequena assembleia piestistica. Depois do pai morrer e da austera assembleia deixar de atrair novos convertidos, as irmãs envelhecidas presidem agora uma cada vez mais pequena congregação de idosos crentes.

A história recua 49 anos, mostrando as irmãs durante a sua juventude. As belas raparigas têm muitos pretendentes, mas o seu pai rejeita-os a todos e ridiculariza o casamento. Cada uma das irmão é cortejada por um apaixonado pretendente de visita à Jutlândia – Martina por um jovem encantador oficial de cavalaria sueco, Lorens Löwenhielm, e Philippa por um famoso barítono, Achille Papin, da Ópera de Paris, numa pausa que fez no silencia da costa dinamarquesa. Ambas as irmãs decidem permanecer com o pai e rejeitar a possibilidade de viver noutro sítio que não a Jutlândia.

Trinta e cinco anos mais tarde aparece à sua porta Babette Hersant (Stéphane Audran) com uma carta de Papin, onde este explica que ela é uma refugiada de um golpe contra-revolucionário em Paris, e recomendado que a aceitem como criada. As irmãs não podem contratar Babette, mas esta oferece’se para trabalhar de graça. Babette trabalha como cozinheira na sua casa durante catorze anos, servindo uma versão melhorada das refeições simple típicas da natureza abstinente da congregação, vindo lentamente a ganhar o seu respeito. A ũnica ligação que mantém com a sua ida anterior é um bilhete de lotaria que um seu amigo em Paris lhe compra todos os anos. Um dia Babette ganha 10 000 francos com este bilhete de lotaria. Em vez de usar o dinheiro para voltar a Paris e retomar o seu anterior estilo de vida, decide gastar o dinheiro na preparação de uma jantar para as duas irmãs e a pequena congregação, aproveitando a celebração do centésimo aniversário do pastor que a fundou. Mais do que um banquete, a refeição é uma manisfestação de apreço da parte de Babette e um acto de auto-sacrifício. Babette não revela a ninguém que gasta todo o prémio da lotaria naquela refeição.