Publicado em

SEXO DAS ANDORINHAS

Não quero mais nenhuns mas. Mas se tivesse sido… não foi. Mas se tivesse dado… não deu. Mas se tivesse ido… não foi.
Se você em algum momento dessa sua vida cometeu um ato que pensou ser de total razoabilidade, que acreditou estar se vendo livre de um esquema de criminosos de colarinho
branco (porque a internet fez com que todo mundo soubesse de tudo que acontecia nos bastidores), que agora sim, poderia se ver livre dos bandidos políticos, surpresa. Você caiu no conto do vigário.
Claro, você não teve intenção de votar em bandido. Sua clara intenção foi votar na nova política. Sem saber, é claro, que o povo votou no Collor, pra votar na nova política, depois vou no Lula pra votar na nova política. Depois votou nesse aí. E daí? É nova a política? Não tem conchavos, não tem articulação nenhuma, o Centrão nem existe.
Hahaha. Sorry. Você realmente caiu no conto do vigário. A política nunca foi tão antiga como agora. O presidente nunca foi tão tosco como agora. O Brasil nunca este tão por baixo como agora. O mundo nuca será o mesmo depois de agora. E agora, josé, maria, bentinho, macabea? O que será de suas vidas? Alguém a chorar por vocês, invisíveis? Alguém a reclamar seus direitos de cidadãos? Alguém a lamentar as mortes que rondaram seus lares?
Estou inconformada. Mais ainda, revoltada.
Como alguém, em plena consciência de suas capacidades mentais, pode defender um presidente que nunca lamentou uma vida perdida? Como alguém tem coragem de postar uma
mensagem com propaganda de candidatura para 2022? É muito non sense. É muita irrealidade.
Hoje estou muito indignada. Muito. Achei que jamais diria isso. Tudo que é humano não devia
nos impressionar. As andorinhas copulam voando. Isso sim é impressionante. Isso merece uma superatenção. O que é humano deveria ser para nós habitual, costumeiro, não impressionável.
Só que não. Este desabafo é só um desabafo. Se você não o ler, não será nada. Lendo-o, será cúmplice.